Usuários reclamam de redução de ônibus em Belém e Ananindeua

Redação Por: Redação

Foco Novidades

Publicado em 06/11/2020 10:58h

Usuários reclamam de redução de ônibus em Belém e Ananindeua

Moradores de bairros de Belém e Ananindeua estão se queixando da redução das frotas de transporte coletivo por conta da pandemia da covid-19. Eles alegam que uma das principais consequências é a lotação em horários de pico. Em bairros como Marambaia, em Belém, e 40 horas, em Ananindeua, os usuários reclamam das demoras nos pontos de ônibus e afirmam que há falta de fiscalização dos órgãos responsáveis junto às empresas.

O arte-educador Márcio Euquim, 41, destacou que a insatisfação vem principalmente nos horários de volta do trabalho, quando os ônibus atrasam muito e ficam aglomerados. Além disso, ele comentou que as paradas de ônibus são soturnas. "Tenho uma deficiência na perna e ontem tive de esperar meu ônibus do outro lado da rua, pois estava chovendo e a parada não tem cobertura. Quando o ônibus apareceu, tive de sair correndo", contou.

Outra insatisfação de Márcio são as mudanças de trajeto dos ônibus durante as chuvas. "Nos obrigam a andar por quarteirões a mais. Por fim, fica aquele questionamento: quem vai nos ajudar? Para quem devemos apelar? Não conseguimos alcançá-los. Ficamos à mercê, como humildes trabalhadores que querem se deslocar com um mínimo de segurança", reclamou.

Para o comerciante Elielson Aviz Alves, 41, não compensa pagar por um serviço que gera insatisfação. "A frota anterior já era insuficiente e a redução só piora as coisas. Nós somos os clientes, pagamos os salários dos funcionários e botamos dinheiro nos bolsos dos empresários. Mesmo assim, não estão pensando em nós. A tarifa que pagamos é muito alta e a maioria dos ônibus estão sucateados, não deveriam circular", disse.

Setransbel

O Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Belém (Setransbel), representando suas associadas, comentou que todas as linhas, em Belém e Ananindeua, estão operando com o número de ônibus superior à atual demanda de passageiros.

"Inclusive a linha 40 horas, já está em circulação com 100% da frota autorizada pela Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de Belém (Semob). Com a operação suprindo a quantidade de passageiros, a demora nas paradas em geral ocorre devido aos frequentes engarrafamentos na região metropolitana, fato que atrasa as viagens. Ficamos à disposição para esclarecimentos adicionais", pontuou.

Semob

A Semob informou que já enviou ofício às empresas de ônibus para que cumpram os horários regulares de circulação dos coletivos e que tem fiscalizado para que a determinação seja cumprida. "Porém, a Semob esclarece que o transporte público do município está circulando com 80% de sua frota, para uma demanda de usuários que ainda encontra-se em 70%, e que as linhas troncais estão circulando fora da canaleta do BRT para evitar aglomeração dentro das estações".

Segundo a Superintendência, a previsão de retorno em 100% da demanda, e consequentemente, 100% da frota, está atrelada ao retorno total das atividades escolares, visto que os estudantes representam uma parcela significativa no número de usuários, e que a normalização do serviço da linha troncal está atrelada à avaliação das autoridades de saúde, haja vista que os terminais e estações são ambientes fechados que, pela própria natureza do sistema de integração, geram acúmulo de passageiros nas áreas internas.

"A Semob ressalta que analisa constantemente a oferta do serviço de transporte municipal, sempre seguindo as recomendações de saúde vigentes para preservar a segurança não só dos passageiros, como também dos operadores do sistema", concluiu.

A reportagem também solicitou um posicionamento da Prefeitura de Ananindeua. Assim que houver respota, o texto será atualizado.

Por: João Thiago Dias - O Liberal

Comentários

Deixe seu comentário abaixo sobre esta notícia:

É Notícia Metropolitano - Portal de Notícias